v=spf1 include:mxsspf.sendpulse.com +a +mx ~all Quando sucessores não têm interesse pelos negócios da família

Quando sucessores não têm interesse pelos negócios da família

August 12, 2018

A cada dez anos novas gerações vão se formando e mudando o cenário empresarial.   Gerações Y, Z e millenials têm sua maneira de ser, interesses pessoais e profissionais que com certeza já são bem diferentes da geração de seus pais.  

A  velocidade de novas descobertas e a proliferação  

de novas conquistas  tecnológicas, que interferem nitidamente em nosso dia a dia, faz com que observemos sem muito esforço  as transformações que vêm ocorrendo nos indivíduos, distanciando de certa forma as gerações em questão de  poucos anos e afastar uns dos outros.

Esta movimentação também alcança o universo de algumas  empresas familiares. A maior manifestação neste sentido é percebida pela falta de interesse  dos futuros herdeiros nos negócios da família. Eles têm o potencial e a capacidade de ingressar nas empresas de suas famílias, mas preferem buscar  alternativas profissionais fora delas. Porque? Para eles os produtos ou atividades de uma empresa familiar tradicional não apresentam mais nenhum atrativo. Não ter a possibilidade de criar, experimentar e colocar em prática suas ideias; se sujeitar a disciplinas empresariais rígidas e, como membros da família, ter o peso de ser exemplo a ser seguido pelos funcionários; ter um ambiente familiar pouco receptivo a suas ideias e sugestões; ter como horizonte de vida profissional o mesmo local de trabalho, a mesma atividade e a mesma rotina, são realidades das quais alguns  jovens herdeiros querem se afastar.

O que um chefe de família, CEO dos negócios familiares e eventualmente  fundador da empresa deveria fazer? Não existe uma resposta única e pronta para a questão, mas podemos dar algumas sugestões que possam mitigar este ponto de tensão formado em torno das relações pais e filhos.

O fundador da empresa, deveria através de leituras, palestras e seminários conhecer o universo dos negócios proporcionados pela realidade 4.0, berço contextual das novas gerações. Demonstrar  aos filhos que existe um certo conhecimento e interesse em trocar ideias sobre suas motivações e ambições pessoais. Mostrar aos filhos o modelo empresarial dos negócios familiares existentes, seus desafios, sucessos e problemas. Avaliar conjuntamente se existiria a possibilidade de uma participação   da empresa familiar no universo 4.0. .

O empresário pai de família não deveria descartar a possibilidade de investir numa ideia apresentada pelos filhos para um novo negócio. Caso existisse pré disposição e recursos financeiros para tanto, isto deveria ser feito de forma profissional, assumindo o pai o papel de um investidor anjo ou  investidor de risco. Prazos para o sucesso do negócio deveriam ser estabelecidos.

Concomitantemente os filhos teriam que conhecer os negócios da família do qual um dia serão sócios. Isto poderia acontecer como membros ouvintes do Conselho da Empresa de onde acompanhariam a movimentação tática e estratégica dos negócios e onde seriam convidados a aprenderem algumas ferramentas de controle econômico financeiro dos negócios tradicionais.

Falamos sobre filhos que buscam outros caminhos e ideias de empreender. Herdeiros que tem por natureza outros interesses profissionais em áreas totalmente diversas a dos negócios  da família, como arte, medicina ou outros deverão ser estimulados a perseguirem seus projetos acadêmicos e profissionais.

 

 

 

 

Please reload

Our Recent Posts

Inflação em baixa! Também na sua empresa?

October 17, 2019

Quando o dono não larga o bastão!

July 8, 2019

Como remunerar herdeiros em uma empresa familiar?

June 24, 2019

1/1
Please reload

Tags

Please reload

Follow

Contato

Endereço

Rua Critios, 57 cj 141B

ENTRE EM CONTATO: +55 11 99182-6369

©2018 by THOMAS LANZ CONSULTORES. Proudly created with Wix.com